Quarta-feira, 1 de Novembro de 2006
(36) A RECEITA

Os meus momentos de felicidade tem sido lampejos.

Suponho por isso legitimo ansiar pela plenitude.

Numa dessas revistecas que tudo solucionam, era prometida a conquista da felicidade em dez passos, com o aval de não sei quantos cientistas e testemunho de outros tantos supostamente felizes e decerto também bem pagos.

Céptico por natureza, não deixo porém de estar aberto à mudança.

Esta atitude e a aparente simplicidade das dez tomas do milagroso milongo, umas diárias, outras semanais, embarcaram-me na experiência, entrando desde logo nas tomas diárias.

As duas primeiras seriam canja.

1)      Cortar metade do tempo a visionar TV

Tirei a ficha da tomada. Dada a qualidade da programação, estava a usar para adormecer.  Cá me arranjarei  e, se necessitar, tomo um soporífero.

2)      Tratar duma planta

Isto adoro. O problema é que trato de muitas e fico receoso do perigo da toma em excesso, mas esperançoso que daí mal não venha

3)      Dizer olá a um desconhecido

Teria de sair.  Sem hesitar, aperaltei-me e, todo janota contra o meu uso, desci as escadas.

Cruzei-me na porta com o tal desconhecido.  Franqueei a passagem e disse OLÁ.

A primeira decepção.  O tipo, carranca afivelada, olhou de soslaio, passou. Não correspondeu, nem agradeceu a gentileza.

Sem perca de tempo, saí e deparei com uma mulher ainda jovem.  OLÁ, disse eu, quando se aproximou.  Não olhou, levantou a cabeça e prosseguiu, certamente convencida que eu pretendia um engate.

A adrenalina começou a borbulhar e fiquei especado.

Entretanto aproximava-se uma velhinha com ar seráfico. Afivelei o meu sorriso às comissuras, sem receio de mostrar os dentes que já não são meus e, na aproximação, gorgeei o meu melhor dos OLÁS.

Boa. Parou. Fitou-me compadecida e disse:

                               Tenha paciência. Não tenho trocado.

 

Não tomo mais nada

Desisto de ser feliz por inteiro, contentar-me-ei com os lampejos. Dependendo de terceiros, o grau de dificuldade sobe em flecha.

No entanto sem responsabilidade nem garantia de êxito, estou ao dispor para indicar os restantes sete passos.

Pode dar-se o caso sejam mais “felizes” do que eu.



publicado por solcar às 16:50
link do post | favorito

De Di a 2 de Novembro de 2006 às 09:58
Foi pena não teres examinado a bula dessa receita. Calculo que diria qualquer coisa como ... :Efeitos secundarios : Tendência a dependencia de terceiros.

Pois é meu amigo, esse é o entrave e é o caminho directo para o insucesso


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

(39) O ADEUS À LUTA

(38) SOLIDÃO... QUE SOLID...

(37) O ECLIPSE

(36) A RECEITA

(35)CONVERSAS DE VIDA E M...

(34) OS SÁBIOS

(33) O LABIRINTO

(32) DIA DA DULCE

(31) MOSCA (II)

(30) SINAIS DOS TEMPOS

(29) MOSCAS

(28) DE CABEÇA PERDIDA (I...

(27) O TESTAMENTO

(26) AS PORTAS E A PORTA

(25) ROSA

(24) VOAR

(23) O COAXO

(22) A VERDADE NUA

(21) FOLHA MORTA

(19) A GARRAFA

(20) A BESTA

(18) MISSÃO IMPOSSIVEL

(17) AOS AMIGOS DO CORAÇÃ...

(16) SAUDADE

(15) A MASCARA

(8) 0 FOGO DA VIDA

(14) OS NUS

(13) FELICIDADE

(12) REPOUSO

(11) A LUTA

(10) DO CORAÇÃO

(9) OS OUTROS

(7) OS AMIGOS

(6) O ENCONTRO

(5) O SONHO

(4) SOU...

(3) OS ESPELHOS

(2) E O AMOR ?

(1) VERDADEIRA SOLIDÃO

arquivos

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

links
blogs SAPO
subscrever feeds